O que você vê quando se olha no espelho? Detalhes da aparência, e entre eles, o sorriso. Já notou como os dentes influenciam a você e a outros? Os dentes realçam a beleza e o brilho de um sorriso. É inegável que a perfeita higiene bucal tem lugar de referência, e critério de aceitação social e profissional. Sendo assim, e uma vez que os dentes permanentes foram feitos para durar a vida toda, é importante que venhamos a dar atenção especial a eles, visto que 3 em cada 10 pessoas com mais de 65 anos nos Estados Unidos já perderam todos os dentes (Despertai! 22/12/2005).

Hábitos de higiene bucal fazem parte dos costumes das sociedades mais primitivas. Os Romanos, já no primeiro século antes da Era Comum, ao receberem convidados colocavam a disposição palitos de metal. A fórmula mais antiga para pasta de dentes, usada há mais de 1.500 anos antes da primeira marca comercial, Colgate, ser lançada no mercado em 1873 vem do Egito. Composta de sal-gema, hortelã, flor de íris desidratada, como antimicrobiano, e grãos de pimenta-do-reino, tudo triturado e misturado foi testada e aprovada por odontologistas vienenses em 2003 (Despertai! 22/11/2003).

Porém, apesar de ser um hábito antigo e de fácil execução, a incorporação da higiene bucal no cotidiano não é uniforme em todas as classes sociais e nem muito bem entendida por todos, mesmo porque a placa bacteriana dental só ganhou o status de precursora da cárie e de outras doenças periodontais há cerca de 40 anos (Vasconcellos NGC, Rev Bras Odontol 44).

A higiene bucal compreende o uso do fio dental, creme e escova dental, e enxaguatório. Estes são os principais produtos diretos da higienização bucal, mas há um mercado não muito bem mapeado que inclui os periféricos. Com o advento dos aparelhos protéticos removíveis surge também uma série de produtos químicos para sua higienização.

No entanto, o grosso do faturamento deste mercado se concentra nos produtos básicos.

Em 2006 o mercado fabricante (ex-works) faturou cerca de R$ 860 milhões (estimativa baseada em dados da Abihpec) com creme dental, o que equivale a dizer consumo per capita nacional de R$ 4,69/pessoa/ano, ou ainda 516 g/pessoa/ano (cerca de 6 bisnagas de 90 g). Diante da imensidão do país, o mercado potencial é enorme.

Já as escovas dentais faturaram cerca de R$ 270 milhões, os enxaguatórios bucais R$ 125 milhões com expressivo crescimento de 30% sobre o ano anterior, e R$ 60 milhões com fio dental. O mercado de fio dental e enxaguatório bucal sofre mais com o víeis da economia, pois são ainda considerados supérfluos por boa parte da população economicamente ativa.

O mercado brasileiro é controlado por grandes multinacionais, como Colgate e Unilever (respectivamente, 49 e 17% de participação de mercado – faturamento consumidor final), porém, produtores nacionais têm investido agressivamente neste mercado com a estratégia de baixo preço para conquistar parte dos consumidores. Como ação reativa, as grandes marcas focam em constantes lançamentos com apelos de marketing para o público infantil com as associações de figuras desse universo.

A Johnson & Johnson (8%) prefere trabalhar os mercados especiais, nos quais consumidores com problemas específicos encontram promessas de solução (gengivites, clareadores dentais, etc..). Gillete, GlaxoSmithKline e Aventis Pharma são outros gigantes do segmento. A preferência por cremes dentais com apelos de ingredientes naturais, tais como malva, melissa, juá e própolis, cresce. A linha Mamãe Bebe da Natura é um bom exemplo disto, com os cremes dentais com extrato de camomila menos irritantes para crianças entre 4 meses e dois anos. Os produtos na forma gel estão conquistando o gosto popular (hoje 22% do volume de consumo).

Quanto aos enxaguatórios bucais presenciamos uma guerra de propaganda que levou a líder Aventis Pharma, com a sua marca Cepacol, a perder posições de mercado frente ao seu principal concorrente Listerine, da Pfizer. A expectativa de faturamento no mercado consumidor final para o ano de 2008 aponta para a cifra de R$ 2,4 bilhões (Euromonitor).

Boa saúde bucal para todos nós.

Boa saúde bucal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X

Pin It on Pinterest

X